Notícias

Novos empreendedores usam tecnologia para acelerar negócios Fonte: G1, 19/12/2014

As startups, ou empresas nascentes, estão ganhando força no Brasil e buscam tecnologia da informação e comunicação (TIC) de baixo custo para serem eficientes e atrair investidores. Levantamento da Serasa Experian revela que foram abertos no primeiro semestre de 2014 um total de 944.678 novas empresas no País, com aumento de 4,3% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Muitos desses negócios, que exploram os mais variados segmentos da economia, são erguidos para operar no mundo digital, com escritórios virtuais que possam funcionar em qualquer lugar, sem restrição de horário.

Segundo pesquisa da Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap), a nova geração de empresários inspira-se no modelo de empreendedores do Vale do Silício, na Califórnia (Estados Unidos), a meca dos negócios de TI. "Lá a cultura do empreendedor é de que basta ter acesso à internet e um local onde possam ficar seus dados e aplicações para começar a trabalhar. Esse modelo tem sido bastante disseminado no Brasil, principalmente por conta dos serviços novos de cloud computing [computação em nuvem]", diz Almir Meira Alves, professor e coordenador dos cursos de Engenharia da Computação e Engenharia de Produção 2.0 da Fiap.

“As tecnologias atuais facilitam a gestão desses negócios, com comunicação para trabalho colaborativo, sem barreira física com suas equipes”, acrescenta Renato Fonseca, gerente da Unidade de Desenvolvimento e Inovação do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em São Paulo (Sebrae-SP). Ele explica que as empresas conectadas contam com tecnologias que fortalecem o relacionamento com os clientes e disciplinam a gestão dos negócios.

O consultor afirma que esses empreendimentos conseguem acessar o mercado mais rapidamente e podem ser mais competitivos. "As empresas conectadas têm chances de ser vitoriosas e apresentar melhores resultados", analisa Fonseca.

A nova geração de empreendedores integra o contingente dos micro, pequenos e médios negócios com grande potencial de investimentos em soluções de TI e Telecomunicações. Um estudo global do Gartner prevê que esse segmento deverá gastar US$ 1 trilhão (cerca de R$ 2,5 trilhões) em todo o mundo até 2016 nessa área.

Desafios da empresa conectada

Na visão dos consultores, ter uma empresa conectada traz benefícios, mas também desafios. Para a Fiap, a mortalidade desses negócios é até maior por causa dos riscos — entre os quais ele aponta a necessidade de os empreendedores serem mais ágeis ao lançar suas ideias para que a concorrência não chegue antes com o mesmo projeto.

Especialistas indicam que é importante também selecionar parceiros e provedores de TI com reputação e avaliar se os serviços deles não vão falhar e tirar as operações do ar. Ou seja, é importante adotar medidas de segurança contra invasões e explorar com inteligência o marketing digital nas redes sociais.

A Embratel ajuda a nova geração de empreendedores entregando a infraestrutura de TI e telecomunicações necessária tanto para empresas com operações convencionais, quanto para companhias totalmente virtuais.

A oferta inclui serviços de voz e dados móveis que contemplam a comercialização também de smartphones e tablets. Para aumentar a produtividade das startups, a Embratel conta com ferramentas de gerenciamento completo do uso desses serviços. Já a solução de automação de força de vendas permite que o envio de pedidos, o controle de estoque e a consulta ou alteração de listas de preços sejam feitos remotamente, em tempo real.

Para que as novas empresas possam economizar na compra de hardware ou software, uma das alternativas propostas pela Embratel é o uso de seu Data Center Virtual, com servidores conectados em nuvem.

O pacote de solução da Embratel engloba ainda ferramentas de segurança, como backup online, antivírus, sistemas de firewall, proteção para bloqueio de sites e conteúdos indesejados, entre outros mecanismos de defesa.

"Temos serviços que possibilitam a nossos clientes a criação de um escritório 100% virtual, com máximo de colaboração, segurança e rápida entrega", garante Adriana Coutinho, diretora Executiva da Embratel, responsável pela área de Cloud.

Outras notícias