Notícias

Índice de absenteísmo: 5 dicas para medir de forma eficiente Fonte: Fsense, 23/11/2018

Em qualquer organização, é natural ocorrer, eventualmente, alguns atrasos, saídas antecipadas e faltas. Porém, quando esses processos são frequentes, é importante redobrar a atenção e buscar medidas para solucionar a questão.

Para isso, é importante ter formas de medir as abstenções. A partir de um indicador como o índice de absenteísmo, você pode diagnosticar problemas e desenvolver diversas estratégias para minimizar as ausências no empreendimento.

É uma métrica que permite apontar as ausências no trabalho em relação ao total de horas que seriam trabalhadas em um período.

Quer saber dicas para medir o absenteísmo de forma eficiente? Confira o nosso post e saiba mais!


Qual a importância de acompanhar o índice de absenteísmo?
Acompanhar o índice de absenteísmo na organização é útil para ter uma visão de quantas faltas há em relação ao total de horas de trabalho. Essa medida permite que você tenha mais consciência dos processos na empresa.

No entanto, além de acompanhar essa métrica, é preciso investigar as causas das ausências. Esse é o primeiro passo para o desenvolvimento de intervenções efetivas na organização.

Dependendo dos motivadores das ausências, você pode estruturar estratégias para minimizar as faltas e os atrasos. Para isso, é importante avaliar o problema e considerar todo o contexto no planejamento de medidas.

Quais os efeitos do absenteísmo para a organização?
O absenteísmo pode gerar diversos problemas para a corporação. Um deles é o prejuízo do ciclo de tarefas. O negócio conta com uma previsão para a realização das atividades. Porém, com as ausências dos profissionais, esse planejamento fica comprometido.

A equipe pode não conseguir cumprir prazos ou ficar sobrecarregada, tendo que realizar as atividades que se destinavam ao colaborador que não está presente. Isso afeta o bem-estar do grupo, a produtividade e, também, a qualidade da produção.

Além disso, a organização perde muito capital. Mesmo com as ausências, a empresa precisa remunerar o trabalhador por esse tempo e sem a obtenção do retorno esperado do colaborador.

Como medir o índice de absenteísmo na empresa?
Para medir o absenteísmo na sua organização, é importante que você siga alguns passos. Confira as orientações abaixo:

Comece estimando o total de horas a serem cumpridas por toda a equipe em um período, que pode ser de um mês, por exemplo.

Se você tem 20 colaboradores que trabalham 8 horas diárias cada um, em um mês você terá um total de horas correspondente ao produto de:

20 funcionários x 8 horas diárias de trabalho x 30 dias no mês = 4800 horas

Em seguida, calcule o total de horas de faltas, saídas antes do horário e atrasos.

Se 12 membros da equipe se atrasaram por 20 minutos cada um no mês, e outros 5 faltaram 1 dia cada um, há dois parâmetros para serem avaliados separadamente.

Atrasos: 12 funcionários x 20 minutos = 240 minutos = 4 horas de trabalho perdidas

Faltas: 5 funcionários x 1 dia x 8 horas de trabalho diárias = 40 horas de trabalho perdidas com faltas.

Total de ausências em um mês = 44 horas

Divida o número de horas perdidas pelo número de horas que seriam cumpridas no mês, idealmente:

Absenteísmo = (44 horas de absenteísmo/4800 horas de trabalho) x 100 = 0,92% em um mês

Ou seja: nessa empresa, o índice de absentismo é de 0,92% neste mês, o que é um bom resultado. A taxa não deve ser maior do que 3%.

Como trabalhar com a medição de absenteísmo?
Agora que você já tem o índice calculado, é importante saber utilizá-lo para desenvolver estratégias e ações.

Confira 5 dicas para usar esses números ao seu favor:

1. Fique atento à expressividade do índice
Calcular a métrica é um procedimento básico. Como dissemos, ela é um indicador, ajudando a apontar o problema.

Porém, é preciso se aprofundar mais na questão. A medida não é capaz de estipular todos os prejuízos que você tem com as ausências. Mas ela é capaz de apontar o quanto de trabalho é perdido com relação ao total de horas que seriam cumpridas.

É importante utilizar o índice para diagnosticar se as abstenções no negócio estão muito excessivas. A partir desse dado, é necessário buscar as causas do problema.

2. Dialogue com a equipe para descobrir as causas
Para descobrir as razões do absenteísmo, é muito importante dialogar com toda a equipe sobre essa dificuldade.

Apenas escutando atentamente o seu time você poderá compreender o que, de fato, está acontecendo.

Desenvolva um diálogo franco e aberto com todo o grupo e ouça o que os profissionais têm a dizer. Dessa forma, você contribui com um clima favorável para que os colegas de trabalho possam se abrir e serem honestos.

3. Busque uma visão sistêmica da questão
Muitos fatores podem contribuir com o absenteísmo. Podem ser problemas no trânsito, doenças ocupacionais, desmotivação, lideranças pouco efetivas, um clima organizacional ruim, insatisfação com o cargo atual ou ausência de um plano de carreira, por exemplo.

Para construir soluções, é importante ter uma visão sistêmica do negócio.

Se a empresa é localizada em um local de difícil acesso, por exemplo, os profissionais podem ter dificuldades de deslocamento. Uma boa solução seria o investimento em uma van ou ônibus para a empresa.

Seja qual for a questão, é importante observar os múltiplos fatores que estão em jogo.

4. Avalie os resultados das ações
Depois de calcular a taxa de absenteísmo, descobrir as causas do problema e dialogar com a equipe, você teve a possibilidade de buscar soluções e aplicar diversas estratégias para reduzir o índice, certo?

Após a execução dessas ações, você percebeu melhorias? As faltas, atrasos e ausências reduziram?

Procure observar esses aspectos no dia a dia de trabalho e veja como a equipe está lidando com as mudanças. Além disso, ouça o time para verificar se eles estão satisfeitos com as estratégias para minimizar as ausências.

5. Faça um monitoramento contínuo
O cálculo do índice de absenteísmo não deve ser pontual, mas sim, contínuo. As empresas são muito dinâmicas e, por isso, é preciso acompanhar, ao longo do tempo, como está a situação das ausências de profissionais.

É importante avaliar esse indicador, pelo menos, mensalmente. Assim, você pode identificar quando há melhorias ou quedas de desempenho relacionados às ausências. Com um monitoramento efetivo, você terá uma visão geral do negócio e mais ferramentas disponíveis para embasar a tomada de decisões.

Uma taxa alta de absentismo traz diversos prejuízos para a organização, como a redução da produtividade, queda na qualidade dos serviços, sobrecarga do time e perda de capital.

O cálculo do índice é bastante simples e, a partir dele, você pode dialogar com a equipe para entender as razões das ausências e desenvolver estratégias de intervenção.

Lembre-se, no entanto, de realizar a medição periodicamente e avaliar os resultados das suas propostas para solucionar a questão.

Outras notícias